22 março 2010

A CRISE DA ÁGUA EM 2010





Desde que o mundo é mundo, água é fator dominante em todos os aspectos. No primeiro capitulo de Gênesis, no livro dos princípios a água já estava lá. Na criação do homem Deus utiliza se do pó da terra para forma-lo, mas para tal teve que por como ingrediente de dar o ponto a água.


Ninguém vive sem água, a Biblia traz em seu bojo quase 400 referencias sobre a água ou verbetes relacionados. A água na Bíblia pode ser vista como um sinal de destruição conforme o capítulo 7 de Gênesis, ou de purificação segundo Êxodo 30:18, de benção como em Jeremias 17:8 ou ainda fala de necessidade espiritual descrito com tanta clareza no Salmos 42.


Ninguém pode negar que Deus utiliza se da água para ilustrar nossas necessidades espirituais por todo o contexto bíblico.

Necessidades espirituais ou materiais, na Bíblia ou fora dela, estão contextualizadas com a realidade de um tempo que se complica em termos de água.


Neste dia 22, dia Mundial da Água somos chamados a uma reflexão mais apurada sobre a crise que a Terra enfrenta em decorrência da água que tanto dependemos, e que estamos próximos de uma catástrofe se não soubermos fazer o uso devido da água.

As geleiras da Ásia por exemplo, alimentam seus maiores rios, e estes são vitais para 2 bilhões de pessoas, mas minguam se dia a dia o gele e a neve. Os picos do Himalia, visto dos mais de 8.800 metros da face norte do Everest, fazem parte de um tesouro de água doce que desce para abastecer uma população gigantesca. O aumento das temperaturas pode causar uma tragédia.


Foto: Divulgação/Edição Azul de National Geographic Brasil – Abril de 2010

Segundo a ONU a Declaração Universal dos Direitos diz que água não deve ser desperdiçada, poluída ou envenenada.Sua utilização de maneira geral deve ser feita com consciência e discernimento para que não se chegue a uma situação de esgotamento ou de deterioração da qualidade das reservas atualmente disponíveis"...

A declaração é linda, mas vivemos uma dimensão bem mais grave do que imaginamos. Os recursos hidrícos estão debaixo de forte exploração, degradação das bacias, acompanhados por poluição, desmatamento e desperdício.

Os dados da ONU indicam que a cada mil litros que o homem consome, outros dez mil são poluídos. Uma pessoa pode ficar sem comer até 40 dias, mas se não beber águá, não sobreviverá depois de três dias.

Estamos distante de uma conscientização de que a água doce é um recurso que pode ter fim. A falta de associar o perigo dos desmatamentos com o consumo da água doméstica é fator determinante. Se não há consciência a preservação torna-se mais dificultada.

Uma floresta desmatada, um rio poluído, a desordenada ocupação do solo acabam gerando fortes prejuízos no que tange à captação de água nos mananciais, reservatórios e bacias. Então um trabalho de base, de conscientização do perigo eminente tem que ser iniciado de imediato.

Em Mogi Guaçu, tomei ciência de um um interessante procedimento desenvolvido pela equipe da EMEF Adirce Cenedeze Caveanha que em decorrência da Semana da Água, realizou um trabalho interdisciplinar, com montagem de cascata produzida com materiais recicláveis.

O destaque para este trabalho interdisciplinar é que o movimento na Escola teve a adesão de todos os alunos do 6º ao 9º ano, e tem objetivo de fazer os alunos atentar para a água como bem essencial para a vida no planeta.

Atividades como essa devem ser constante em Escolas onde com certeza despertarão nas crianças uma visão mais acentuada sobre o consumo de água e formaçao de conceitos ambientais.

Leia mais sobre este evento em :http://www.guacunoticias.com.br/2010/03/semana-da-agua-emef-adirce-cenedeze-caveanha-realiza-trabalho-interdisciplinar-com-alunos/